terça-feira, 22 de maio de 2018

Podcast: refluxo, colesterol, gordura saturada, sal e índice glicêmico




Recentemente participei do podcast do site Senhor Tanquinho. Falamos sobre quatro assuntos diferentes: refluxo; colesterol e gordura saturada; sal/sódio; índice glicêmico.

Parte dos assuntos foi escolhida por eles, enquanto parte foi escolhida por mim. Fiz questão de sugerir alguns tópicos justamente porque estão entre os que mais trazem dúvidas, já que costumo receber diversas perguntas e comentários sobre eles. Espero que, para os interessados, essa conversa possa esclarecer as principais confusões, incertezas e preocupações que existem sobre esses assuntos.

Com muita coisa para falar, a conversa acabou ficando em duas partes:

Parte 1 - Refluxo + Colesterol e Gordura Saturada
Parte 2 - Sal/Sódio + Índice Glicêmico

Grande parte das referências que embasaram os assuntos da primeira parte estão no link do próprio podcast. Para o tema do refluxo, como a discussão principal foi sobre como as dietas low-carb influenciam esse quadro clínico, as referências contidas no link são praticamente todos os estudos que já foram publicadas nessa área. O restante das referências são especialmente dedicadas ao tema colesterol e gordura saturada, porque, embora eu já tenha escrito alguns textos sobre o assunto, é um tópico bastante complexo e que merece ser tratado com mais detalhes.

Para os assuntos da segunda parte, os textos aqui do blog são suficientes como fonte de referência para os principais estudos que envolvem o foco discutido nos dois temas:

1) Sal — o que nunca lhe contaram sobre ele
2) A ilusão do sal rosa do Himalaia
3) A irrelevância do índice glicêmico

E, para quaisquer esclarecimentos adicionais, sintam-se à vontade para perguntar.


18 comentários:

  1. Muito bom, João!
    Aproveito para perguntar: porque tanta gente idolatra a carna de porco?
    Existem de fato beneficio extra a fonte de proteína em relação a outras carnes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      É verdade que condenam mais a carne bovina do que a carne de porco, mas não vejo as pessoas exaltando a carne de porco mais do que a carne de frango ou os peixes. Pelo menos essa é a minha percepção.

      De qualquer forma, a maioria dos estudos observacionais mostram que um maior consumo de carne de porco (sem contar os embutidos), carne de frango e peixes está associado a desfechos de saúde mais positivos, quando comparado a uma maior ingestão de carne vermelha. Não necessariamente é uma relação de causalidade, mas é o que se observa. Só que, mesmo nesse sentido, a carne de porco seria "igual" às outras duas, então não haveria muito motivo para ela ser mais idolatrada do que as demais.

      Excluir
  2. Parabéns, muito boa a entrevista.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo podcast. Ficou muito legal.

    Sobre colesterol, no final das contas ainda tenho muitas duvidas. Um parente meu, que passou a seguir uma dieta mais voltada para a Paleo, fez um exame de sangue, e os resultados foram esses:

    NÃO-HDL COLESTEROL: 171,mg - (Valor de referencia diz que acima de 160 é alto).
    LDL-COLESTEROL: 149,mg - (Valor de referencia diz que acima de 130 é limitrofe, o desejável é abaixo de 129)
    COLESTEROL TOTAL: 252mg - (desejavel menor que 190)
    HDL COLESTEROL: 81mg (desejavel maior que 40)

    A pessoa ficou assustada (ainda vamos voltar na nutricionista para orientação. Ela é magra, vai na academia todo dia e é jovem (menos de 30 anos). Esses resultados são muito ruins?

    Todos os outros indicadores estão dentro do padrão ou baixos (como glicose, etc).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.

      Se todos os outros marcadores, especialmente glicemia, triglicerídeos, insulina basal e HOMA-IR, estão realmente baixos, então a princípio não tem por que se preocupar.

      O colesterol como um todo, nesse caso, deve ter aumentado como resultado de um maior consumo de gordura saturada na dieta, o que é comum de acontecer em pessoas que seguem dietas paleo, low-carb e similares. E isso é completamente normal, uma vez que algumas pessoas têm essa tendência de aumento (natural) do colesterol com uma maior ingestão de gordura saturada.

      Mas note o HDLc. A pessoa que se encontra num estado de desregulação metabólica muito dificilmente vai apresentar um HDLc elevado. Logo, se você tem uma pessoa saudável, com todos os outros exames dentro da normalidade, um colesterol (total e LDL) "aumentado" é apenas um reflexo da dieta e do metabolismo normal dessa pessoa, ainda mais se o HDLc não estiver baixo.

      Excluir
  4. Sim, resistência insulínica é um fator prejudicial nas doenças cardiovasculares.
    Mas ainda não concordo com ignorar a hipercolesterolemia.
    Já está mais que provado que é um fator causal e não de correlação, tanto é que remédios como estatinas, e até os mais novos inibidores de PCSK9 mostraram-se eficaz na redução de mortalidade cardiovascular. Isso já é o bastante para não ser apenas uma correlação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos anonimar então.....rsrsrs
      Primeiramente é preciso diferenciar uma coisa da outra. Hipercolesterolemia é um distúrbio e precisa ser tratado. Outra coisa é a excessiva indicação de estatinas em pessoas com colesterol apenas ELEVADO, mas com todos os demais marcadores de risco bons.
      Em relação aos estudos, a sua grande maioria são patrocinados pela indústria farmacêutica e no geral utilizam de subterfúgios estatísticos na conclusão, optando por apresentar valores relativos ao invés de absolutos. O Liptor por exemplo (estatina da Pfizer) apresentou em seu estudo uma redução de mais de 36% na mortalidade. 36% de redução seria muita coisa, não é?? Mas são valores relativos!!! O resultado (absoluto) do estudo de 3 anos foi que: 3% das pessoas tratadas com placebo tiveram ataque cardíaco (e não morreram), enquanto 2% das pessoas tratadas com o Liptor tiveram ataque cardíaco (e não morreram). Em números absolutos isso é irrisório!! Significa que a cada 100 pessoas tratadas com medicamento APENAS UMA não terá um ataque cardíaco! Vale salientar que este estudo foi feito em pacientes de risco, se transportar este estudo para a população em geral o benefício deve ser ainda menor.

      Excluir
  5. A crítica ao estudo dos seis países, por teis seis países, continua pertinente. E não é por causa da correlação em si. Embora mais fraca, ela continua lá. É porquê, usando aqueles seis países Keys montou um gráfico bem ... favorável. Basta ver o gráfico com os 22 países para notar que não teria o mesmo impacto.

    ResponderExcluir
  6. Fala João!

    Queria agradecer pelas entrevistas, ficaram realmente excelentes.

    Recebemos muitos emails agradecendo e elogiando, e estamos à disposição caso precise de algo!

    Segunda-feira (28/05/2018) vai sair a segunda parte :)

    Obrigado novamente pelo seu tempo e disposição.

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns a vocês também. Convidem mais ele

      Excluir
    2. Muito obrigado! Pode deixar, profissionais como o João são sempre bem-vindos no nosso podcast :D

      Excluir
  7. Boa tarde , João. Faço acompanhamento com o médico endocrinologista para aumentar o peso, pois tenho o IMC muito baixo, sou alto e muito magro.
    Já me passou cobavital que é uma vitamina e um estimulador do apetite, e ganhei só 400g de peso, agora ele quer me passar buclina mas minha mãe andou vendo na internet e tem vários efeitos colaterais.
    Já fui em 2 nutricionistas e os mesmos não me ajudaram só aumentou os carboidratos e, uma passou suplemento que me fez super mal, um pó que eu tinha que tomar a tarde derivado do açucar, que me fez vomitar muito com gosto de laranja.

    Pode por favor me ajudar, algum suplemento que de fato ajude ao ganho de peso. A creatina pode ser usada sem fazer musculação? ele aumenta o peso?


    Obrigado. Não quero me identificar tenho 23 anos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde,

      Ganhar peso é diferente de ganhar massa.
      Se o objetivo é ganhar peso (gordura), coma muito carboidratos junto com gorduras, é tiro e queda!
      Se o objetivo é ganhar massa, a maneira mais rápida de atingir seu objetivo é fazer musculação e comer adequadamente. Fora isso, ou são invencionices para tomar seu dinheiro ou usar anabolizantes.
      OBS: alguns suplementos podem ajudar, mas só em casos específicos e com orientação adequada.

      Excluir
  8. Parabéns, João, pelo podcast. Vou ouvir com calma em casa...

    Aliás, quando terá os seus próprios, hein???

    ResponderExcluir
  9. Alguém tem noticias dele????
    Ele respondia quase todos os dias, agora ele sumiu

    ResponderExcluir
  10. Gente cadê ele??
    Alguém tem notícias?????

    ResponderExcluir
  11. Parabéns João, sempre atualizado e com informações úteis e importantes. Eu sempre recomendo seu blog!

    ResponderExcluir