terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Top 10 palestras do TED




A princípio, olhando apenas do ponto de vista do TED, esse post não teria nada a ver com alimentação, nutrição ou saúde. Por outro lado, considerando que as palestras do TED, independentemente do tema, normalmente são excelentes, acredito que as ideias expostas e discutidas nelas podem ser interessantes para qualquer pessoa. 

Porém, para aqueles que ainda preferem a parte de nutrição e alimentação, podem ficar tranquilos que algumas das palestras falam sobre esses assuntos.

Para quem não conhece, podemos resumir assim: o TED é uma conferência global de ótimas palestras, apresentadas por convidados excepcionais. A sigla significa Technology, Entertainment, Design (em português: Tecnologia, Entretenimento, Design). Nos primeiros anos, o foco era voltado justamente para os tópicos contemplados pela sigla; atualmente, os temas são muito mais abrangentes, passando pelos mais diversos assuntos e áreas, incluindo questões científicas, culturais, de saúde, sociais e acadêmicas.

Minha recomendação é que qualquer um deveria assistir a todas as palestras que do TED que puder. Nem todas terão a mesma qualidade, mas o saldo final certamente será positivo. Mesmo assim, atenção: os vídeos normalmente são viciantes, podendo causar dependência.

Para quem quiser conhecer um pouco mais sobre a história e o desenvolvimento do TED, recomendo os seguintes links:

Além das 10 palestras selecionadas abaixo, eu poderia recomendar dezenas de outras boas opções, simplesmente porque as palestras são muito bem feitas e apresentam excelente conteúdo. Mas por uma questão de tempo (meu e seu), vamos ficar com essas 10. 

Mais difícil do que escolher apenas 10 palestras foi escolher uma ordem de "preferência". Na verdade, nem tenho certeza se essa é exatamente a ordem das minhas favoritas, mas é algo próximo disso.

A maioria dos títulos em português foram tirados da página do TED que dá a opção de assistir aos vídeos em português brasileiro, com exceção das palestras #8 (que não tinha essa opção), #7, #3 e #1 (cujas traduções livres a partir do título em inglês eu considerei como mais propícias). A boa notícia: todas as palestras, com exceção da #8, possuem legendas em português.


Sem mais delongas, vamos ao meu (até o momento) top 10 TED.




Após ver esse vídeo, fica muito claro como e por que as organizações sem fins lucrativos não prosperam como poderiam (ou deveriam). Considerando as ideias expostas por Dan Pallota, a mudança na forma de pensar dos gestores, e do público, são extremamente importantes para que essas organizações possam crescer e desenvolver seus belos trabalhos.


#9 - Apollo Robins: A arte da distração

É sensacional ver como a nossa mente é, ao mesmo tempo, "burra" e inteligente. Nessa apresentação — que está mais para um show do que uma palestra —, Apollo Robins faz você se impressionar com a capacidade que a nossa mente tem de (não) perceber o mundo e os detalhes ao nosso redor. Do começo ao fim, você vai se questionar: "Como eu não percebi isso?".


#8 - David Newman: A verdade que perdura

Qual é a capacidade que os diferentes tipos de estudos científicos realmente têm em mostrar o risco de desenvolver problemas de saúde? Como saber a verdadeira capacidade que alguns medicamentos têm em tratar as doenças? Qual é o melhor tipo de intervenção para doenças cardiovasculares (a maior causa de morte em boa parte do mundo): drogas ou alimentação? Nessa apresentação, David Newman mostra de forma simples e direta que a verdade por trás das terapias medicamentosas é um pouco (ou bem) diferente daquilo que nos contam.


#7 - Carl Honoré: Em louvor à lentidão

Nessa palestra, Carl Honoré nos mostra como a obsessão com a velocidade — com fazer tudo de forma excessivamente rápida, como estivéssemos sempre na "quinta marcha" — faz com que a qualidade de vida de muitas pessoas seja, de maneira geral, muito baixa. O objetivo da palestra é fazer com que possamos abrir os olhos e perceber que, muitas vezes, a pressa é inimiga da perfeição. Se interessar, recomendo fortemente a leitura do livro homônimo do autor, In Praise of Slowness.


#6 - Allan Savory: Como recuperar os desertos e reverter as mudanças climáticas

Veja o impressionante trabalho realizado pelo ambientalista Allan Savory e entenda que a solução para a desertificação dos solos e as mudanças climáticas pode ser encontrada a partir de uma visão mais ampla do próprio problema. É muito impressionante como é possível re-estabelecer o equilíbrio simplesmente ao fazer com que a natureza funcione da forma como sempre funcionou. Essa palestra me lembra muito dessa história.


#5 - Graham Hill: Menos coisas, mais felicidade

O título já diz quase tudo. Normalmente não prestamos muita atenção qual é o real impacto que o excesso de bens materiais — e todas as consequências negativas que podem vir acompanhadas — tem sobre as nossas vidas e a nossa saúde. Porém, Graham Hill apresenta estratégias simples que podem nos ajudar a contornar esse problema.


#4 Ric Elias: Três coisas que descobri quando meu avião caiu

Muitas vezes, apenas nos momentos mais difíceis é que aprendemos a dar o verdadeiro valor a algumas coisas. No caso do palestrante Ric Elias, uma experiência de quase morte foi o estopim para que ele acordasse para alguns fatos. Assistir a essa palestra é uma ótima forma de refletir sobre as nossas prioridades na vida.


#3 - Jamie Oliver: O desejo de ensinar todas as crianças sobre comida

É indiscutível o papel que a alimentação possui na saúde. Porém, se a alimentação é uma das únicas necessidades realmente fundamentais aos seres humanos, por que o desconhecimento sobre ela é tão grande? Cada um de nós não deveria entender pelo menos o básico sobre alimentos e alimentação? Para mudar esse cenário, o desejo de Jamie Oliver — um dos maiores nomes mundiais do meio da alimentação — é que todas as crianças sejam ensinadas a se alimentar bem, de forma a facilitar o desenvolvimento de pessoas conscientes e empoderadas em relação à própria alimentação. Complete essa palestra fenomenal com o excelente documentário Muito Além do Peso.


#2 - Tristram Stuart: O escândalo do desperdício global de alimentos

O desperdício de alimentos é, certamente, um dos maiores absurdos do nosso mundo contemporâneo, e o pior de tudo é que a maior parte das pessoas não dá a mínima importância a isso — propositalmente ou não. Como pode ser visto no vídeo, Tristram Stuart nos mostra que nossa população essencialmente desperdiça alimentos sempre que ela pode, da produção ao consumo, normalmente de maneira totalmente negligente. Além disso, são apresentadas as severas implicações que podem surgir a partir de todo esse descuido.


#1 - Sir Ken Robinson: As escolas acabam com a criatividade?

Na minha opinião, ainda não teve uma palestra do TED tão boa quanto essa. Ela vai além do TED, do palestrante e do próprio tópico; no caso, o todo é muito maior do que a soma das partes. O tema, além de extremamente interessante, é importantíssimo: será que as escolas, na sua forma tradicional de "ensinar", acabam com a criatividade e o potencial das crianças, dos adolescentes e dos jovens adultos? Segundo Ken Robinson, a resposta para essa pergunta é um sonoro "Com certeza!". O palestrante ainda sugere que, além de impedir o verdadeiro crescimento pessoal e profissional, as escolas normalmente levam as pessoas a uma vida de frustrações, insatisfações e problemas sociais e de saúde — que pode afetar não só a vida da própria pessoa, mas também a das pessoas ao seu redor. Não deixe de conferir também, aqui e aqui, as duas palestras do próprio Ken Robinson que dão sequência ao tópico abordado.


Essa foi a minha lista. Reflexões para o fechamento de um ano e o começo de outro. Sinta-se à vontade para compartilhar outras palestras do TED nos comentários.


***
Se você vê valor no meu trabalho, considere fazer uma contribuição.



13 comentários:

  1. Olá, Feliz natal com saúde e com este astral de bom senso, fiquei positivamente surpreso com seu apanhado eclético de leituras e palestras, não restrito portanto a sua formação específica, e sim duma visão abrangente do mundo em que vive, muito bacana. Parabéns e, agradeço pelas indicações parecem realmente interessantes irei atrás. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Agradeço pelas dicas de palestras, João!

    ResponderExcluir
  3. Já assisti a algumas dessas palestras. Aprendo muito sempre. Gosto muito também do TED do Peter Diamondis sobre abundância: https://www.ted.com/talks/peter_diamandis_abundance_is_our_future?language=pt-br
    Recomendo!

    ResponderExcluir
  4. Olá, mudando do saco para a mala, vc certamente deve ter sabido que, - a mim causaram surpresa, li por um acaso faz um tempinho - sobre alguns alimentos que são radioativos e, foram mencionadas a banana, nozes entre outros, sendo que segundo lia, a banana seria capaz de acionar o dispositivo dos aeroportos tal seu nível radioativo. Pergunto então, como assim cara pálida? Sempre que se fala sobre radiação é uma coisa de cuidados em função de seus perigos, se diz que possui efeitos cumulativos, então como ficamos ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Míron.

      Sinceramente conheço pouco sobre esse assunto, mas vamos lá.

      A prática de irradiação realmente existe, e funciona como uma técnica que auxilia a preservar melhor os alimentos. Porém, até onde sei, a intensidade da irradiação legalmente permitida é bem abaixo da quantidade que seria necessária para gerar resíduos radiativos. Assim, teoricamente estamos seguros consumindo alimentos que sofreram irradiação.

      Essa informação que você obteve pode ser uma simplesmente uma confusão de ideias. Quem a propaga pode achar que, só porque um alimento sofre irradiação, ele necessariamente se torna radiativo.

      Excluir
  5. Olá. UMA LISTA DOS ALIMENTOS MAIS RADIOATIVOS; CentroCap NEXT – Núcleo de Extensão Tecnológica. Na real menciona alimentos naturalmente radioativos


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, nesse caso seria uma história diferente. Porém, tentei seguir os links para as referências originais e não cheguei a nenhuma fonte que realmente aparente ser minimamente confiável.

      Seria interessante chegar até a fonte original, e que esta seja de fato confiável. Com apenas essas informações, de sites que não passam a devida credibilidade, essa questão não passa de mera especulação.

      Excluir
    2. Sim de fato, tbm achei este tipo de referencia sem maiores comprovações apenas exposições sem citação da fonte.

      Excluir
  6. Voltando ao assunto de alimentos radioativos encontrei um material.
    Fonte: http://chemistry.about.com/od/foodcookingchemistry/tp/10-Common-Naturally-Radioactive-Foods.htm?r=et sob o blog Física Médica de Tadeu Kubo profissional da área. Realmente é difícil encontrar referencias sobre o tema. Este pelo menos é um físico e médico, embora até aí "morreu Neves" rsrsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que estamos ficando mais perto de uma referência de fato, mas ainda sim é algo que não me preocupa.

      Na minha opinião, acho que não é preocupante porque são traços radiativos naturalmente presentes nos alimentos. E esses são todos alimentos bem comuns, que fazem parte da alimentação de grande parte da população mundial.

      Se eles levassem a algum tipo de prejuízo mais alarmante, acredito que isso seria relativamente fácil de perceber e identificar -- como efeitos sobre a mortalidade total ou a incidência de câncer em algumas populações, por exemplo.

      Excluir